Skip to content

Calculadora de Juros Compostos

Calcule o crescimento exponencial dos seus investimentos com a calculadora de juros compostos.

Como usar a calculadora de juros compostos

step 1 (1)

Digite primeiramente o valor inicial investido.

step 2 (1)

Digite o valor mensal do investimento.

step 3 (1)

Digite a taxa juros em %, escolhendo a frequência.

step 4 (1)

Por último, digite o período e escolha a frequência.

Calculadora de Juros Compostos

Mês Valor Investido Juros Total Acumulado

O que são juros compostos

Juros compostos são um tipo de cálculo de juros onde os ganhos ou custos financeiros são adicionados ao principal inicial, formando uma nova base de cálculo para os períodos seguintes. Isso significa que os juros são calculados não apenas sobre o valor inicial, mas também sobre os juros acumulados anteriormente. Esse método resulta em um crescimento exponencial do capital ao longo do tempo.

Essa característica os diferencia dos juros simples, pois o valor dos juros a serem pagos ou recebidos aumenta progressivamente a cada período. Isso gera um efeito de aceleração no crescimento ou no endividamento financeiro, tornando os juros compostos uma ferramenta poderosa para investidores e uma fonte significativa de custos para tomadores de empréstimos.

Em resumo:

  • Juros compostos são juros gerados sobre o capital inicial e sobre os juros acumulados ao longo do tempo.
  • Esse efeito "bola de neve" leva a um crescimento exponencial do seu dinheiro.
  • É uma ferramenta poderosa para alcançar seus objetivos financeiros a longo prazo.

Como os juros compostos são usados?

Os juros compostos são amplamente utilizados em diversas áreas financeiras, como investimentos, empréstimos e financiamentos. No contexto de investimentos, eles permitem que o capital inicial cresça de forma exponencial ao longo do tempo, devido à reinvestimento dos ganhos.

Isso é especialmente valioso para o crescimento de poupanças e investimentos de longo prazo, como aposentadoria. Por outro lado, em empréstimos e financiamentos, os juros compostos aumentam o montante total a ser pago ao longo do tempo, resultando em custos financeiros mais elevados para os mutuários. Essa dinâmica é fundamental para a análise e gestão de riscos em finanças pessoais e corporativas.

Diferença entre juros simples e compostos

A diferença fundamental entre juros simples e compostos reside na forma como os juros são calculados em relação ao capital inicial. Em juros simples, os ganhos ou custos financeiros são calculados apenas sobre o valor inicial, permanecendo constantes ao longo do tempo. Por outro lado, nos juros compostos, os juros são calculados não apenas sobre o capital inicial, mas também sobre os juros acumulados em cada período anterior, resultando em um crescimento exponencial do capital ao longo do tempo.

Enquanto os juros simples tendem a gerar um aumento linear nos ganhos ou custos financeiros, os juros compostos apresentam um crescimento exponencial, proporcionando um potencial de acumulação mais significativo em investimentos e um aumento mais rápido dos custos em empréstimos.

Essa distinção é crucial para a compreensão dos diferentes impactos financeiros e para a tomada de decisões em relação a investimentos e endividamento.

Como calcular juros compostos (com exemplo)

Para calcular juros compostos, utiliza-se a fórmula:

𝐴=𝑃×(1+𝑟)𝑛
 

Onde:

  • 𝐴 é o montante total após o período de tempo 𝑛,
  • 𝑃 é o principal (ou capital inicial),
  • 𝑟 é a taxa de juros por período expressa como uma fração,
  • 𝑛 é o número de períodos.

Por exemplo, se investirmos R$ 1000 a uma taxa de juros anual de 5% composto anualmente por 3 anos, o cálculo seria:

𝐴=1000×(1+0.05)^3
𝐴=1000×(1.05)^3
𝐴=1000×1.157625
𝐴≈1157.63

 

Portanto, após 3 anos, o montante total seria aproximadamente R$ 1157.63. Este exemplo ilustra como os juros compostos geram um crescimento exponencial do capital ao longo do tempo.

Como calcular juros simples (com exemplo)

Para calcular juros simples, utiliza-se a fórmula:

 

𝐽=𝑃×𝑟×𝑛

 

Onde:

  • 𝐽 é o valor dos juros,
  • 𝑃 é o principal (ou capital inicial),
  • 𝑟 é a taxa de juros por período,
  • 𝑛 é o número de períodos.

Por exemplo, se emprestarmos R$ 1000 a uma taxa de juros anual de 5% por 3 anos, o cálculo seria:

𝐽= 1000×0.05×3

𝐽= 1000×0.15

𝐽= 150

 

Portanto, após 3 anos, o valor dos juros seria R$ 150. Este exemplo demonstra como os juros simples geram um aumento linear nos ganhos ou custos financeiros ao longo do tempo, em contraste com o crescimento exponencial dos juros compostos.


Como fazer o cálculo para saber a taxa de juros?  (com exemplo)

Para calcular a taxa de juros, pode-se usar a fórmula

𝑟=𝐽/(𝑃×𝑛)​

 

Onde:
  • 𝑟 é a taxa de juros por período,
  • 𝐽 é o valor dos juros,
  • 𝑃 é o principal (ou capital inicial),
  • 𝑛 é o número de períodos.

Por exemplo, se emprestarmos R$ 1000 e pagarmos R$ 150 de juros após 3 anos, o cálculo seria:

𝑟=150/(1000×3)

𝑟= 150/3000

𝑟=0.05

 

Multiplicando por 100 para expressar a taxa como porcentagem, obtemos:

𝑟=5%
 

Portanto, a taxa de juros para este empréstimo seria de 5% ao ano. Essa fórmula é útil para calcular a taxa de juros quando o principal e o valor dos juros são conhecidos.


Como calcular juros compostos de empréstimo (com exemplo)

Para calcular os juros compostos de um empréstimo, usamos a fórmula:

𝐴=𝑃×(1+𝑟)^𝑛
 

Onde:

  • 𝐴 é o montante total a ser pago,
  • 𝑃 é o principal (ou valor do empréstimo),
  • 𝑟 é a taxa de juros por período expressa como uma fração,
  • 𝑛 é o número de períodos.

Por exemplo, se tomarmos um empréstimo de R$ 5000 a uma taxa de juros anual de 8% composto anualmente por 2 anos, o cálculo seria:

𝐴=5000×(1+0.08)^2

𝐴=5000×(1.08)^2

𝐴=5000×1.1664

𝐴≈5832.00

 

Portanto, o montante total a ser pago após 2 anos seria aproximadamente R$ 5832.00, incluindo os juros compostos. Este exemplo ilustra como os juros compostos aumentam o montante total a ser pago ao longo do tempo em um empréstimo.


Como calcular a taxa média de juros compostos?

A taxa média de juros compostos pode ser calculada usando a fórmula dos juros compostos para encontrar a taxa efetiva de juros. A fórmula é 

𝑟=(𝐴/𝑃)^(1/𝑛)−1
 

 Onde:

  • 𝑟 é a taxa de juros média,
  • 𝐴 é o montante total,
  • 𝑃 é o principal (ou capital inicial),
  • 𝑛 é o número de períodos.

Por exemplo, se investirmos R$ 2000 e após 3 anos o montante total for de R$ 2700, a taxa média de juros compostos seria calculada assim:

𝑟=(2700/2000)^(1/3)−1

𝑟=(1.35)^(1/3)−1

𝑟≈0.15

 

Multiplicando por 100 para expressar a taxa como porcentagem, obtemos:

𝑟≈15%
 

Portanto, a taxa média de juros compostos nesse exemplo seria de 15% ao ano. Isso representa a taxa média de crescimento do investimento ao longo do período.

Uma conta digital para financeiros exigentes